sábado, junho 16, 2001

Essa música é muito linda, signofica muito para mim. Leiam:

Banda: Skank
Música:Resposta

Bem mais que o tempo
Que nos perdemos
Ficou pra trás, também
O que nos juntou

Ainda lembro que
Eu estava lendo
Só pra saber
o que você achou
dos versos que eu fiz?
E ainda espero resposta

Desfaz o vento
O que ha por dentro
Desse lugar que ninguém mais pisou]

Você esta vendo
O que esta acontecendo?
Nesse caderno sei que ainda estão
Os versos seus
Tão meus que peço
Nos versos meus
Tão seus que espero
que aceitem

Em paz
Eu digo que eu sou
O antigo que vai adiante
Sem mais
Eu fico onde estou
Prefiro continuar
Distante

sexta-feira, junho 15, 2001

Maninho, vou me sentir eternamente culpada por ter deixado vc ler aquele livro...
E essa outra historinha é para todos os pagodeiros, "axezeiros", funkeiros e sertanejos:

Diga não às drogas!!!
Tudo começou quando eu tinha uns 14 anos e um amigo chegou com aquele papo de “experimenta, depois, se você quiser, é só parar”. Eu fui na dele.
Primeiro ele me ofereceu uma coisa leve, disse que era “raiz”, “da terra”, que não fazia mal, e me deu um inofensivo disco do “Chitãozinho e Xororó”. Em seguida veio um do “Leandro e Leonardo”.
Achei legal, coisa bem brasileira, mais a parada foi ficando mais pesada, o consumo cada vez mais freqüente, comecei a chamar todo mundo de “Amigo” e acabei comprando pela primeira vez. Lembro que cheguei na loja e pedi:
- Me dá um CD do Zezé de Camargo e Luciano.
Era o princípio de tudo!
Logo resolvi experimentar algo diferente e ele me deu um CD de axé.
Ele dizia que era pra relaxar, sabe, coisa leve...
“Cheiro de amor”, “Banda Eva”, “Netinho”, etc... com o tempo, ele foi me oferecendo coisas piores: “É o Tchan”, “Asa da Águia”, “Companhia do Pagode” e muito mais. Após o uso contínuo eu já não queria mais saber de coisas leves, eu queria algo mais pesado, mais desafiador, que me fizesse mexer a bunda como jamais havia mexido antes, então, meu “amigo” me deu o que eu queria: Um CD do “Harmonia do Samba”.
Minha bunda passou a ser o centro da minha vida, minha razão de existir. Eu pensava por ela, respirava por ela, vivia por ela!
Mas depois de muito tempo de consumo, a droga perde o efeito, você começa a querer cada vez mais, mais, mais...
Comecei a freqüentar o submundo e correr atrás das paradas. Foi a partir daí que começou a minha decadência. Fui ao show de encontro dos grupos “Karametade” e “Só pra Contrariar”, e até comprei a Caras que tinha o Rodriguinho na capa.
Quando dei por mim, já estava com o cabelo pintado de loiro, minha mão tinha crescido muito em função do pandeiro, meus polegares já não se mexiam em função de eu ficar todo o tempo fazendo sinal de positivo. Não deu outra, entrei para um grupo de pagode.
Enquanto vários outros viciados cantavam uma “música” que não dizia nada, eu e outros 12 infelizes dançávamos alguns passinhos ensaiados, sorriamos, fazíamos sinais combinados.
Lembro-me quando entrei nas Americanas e pedi uma coletânea “As Melhores do Molejo”. Foi terrível!!! Eu já não pensava mais!!! Meu senso crítico havia se dissolvido pelas rimas miseráveis e letras pouco arrojadas. Meu cérebro estava travado, já não pensava em mais nada. Mas a fase negra ainda estava por vir.
Cheguei no fundo do poço, no limiar da condição humana, quando comecei a escutar as “Popozudas”, “Bondes”, “Tigrões”, “Motinhas” e “Tapinhas”. Comecei a ter delírios, a dizer coisas sem sentido. Quando saia na noite para as festas pedia tapas na cara e fazia gestos obscenos. Fui cercado por outros drogados, usuários de drogas mais estranhas; uns nobres queriam mostrar o “caminho das pedras”, outros extremistas preferiam o “caminho do templo”.
Minha fraqueza era tanta que eu estava próximo de sucumbir aos radicais e ser dominado pela droga mais pesada do mercado: a droga limpa.
Hoje estou internado em uma clínica. Meus verdadeiros amigos fizeram única coisa que poderiam Ter feito por mim. Meu tratamento está sendo muito duro; doses cavalares de Rock, MPB, Progressivo e Blues. Mas meu médico falou que talvez eu tenha que recorrer ao Jazz e até mesmo a Mozart e a Bach.
Queria aproveitar a oportunidade e aconselhar as pessoas que não se entregue a esse tipo de droga. Os traficantes só pensam em dinheiro. Eles não se preocupam com a sua saúde, e tapam sua visão para as coisas boas e te oferecem drogas. Se você não reagir, vai acabar drogado, alienado, inculto, manobrável, consumível, descartável e distante; vai definhar mentalmente e perder as referências.
Em vez de encher a cabeça com porcaria, pratique esportes, e na dúvida, se não puder distinguir o que é droga ou não, faça o seguinte:
 Não ligue a TV Domingo a tarde.
 Não escute nada que venha de Goiânia ou do interior de São Paulo.
 Não entre em carros com o adesivo “Fui...”
 Se te oferecerem um CD, procure saber se o suspeito foi ao Programa da Hebe e ao Sabadão do Gugu.
 Não compre nenhum CD com mais de seis pessoas na capa
 Não compre nenhum CD que tenha nuvens no fundo.
 Não compre nenhum CD que tenha vendido mais de um milhão de cópias no Brasil.
 Não vá a shows que os suspeitos façam coreografias com gestos ensaiados.
 Mulheres gritando histericamente é outro indício.
 Não escute nada que o cantor não consiga uma concordância verbal mínima.
Mas, principalmente, duvide de tudo e todos.

A vida é bela!
Eu sei que você consegue!
Diga não às drogas!
Essa historinha é muito bonita... vale a pena ler! Ela é meio grande, é realmene o que cada um de nós precisa saber para poder viver... dedico-a para o Ari, que com certeza sabe comer os morangos que aparecem na vida dele...

Nem uvas, nem bananas,

*Morangos*

Um sujeito estava caindo de um barranco e se agarrou as raízes de uma árvore que estava no meio do caminho. Em cima do barranco, havia um urso imenso querendo devora-lo. O urso rosnava, mostrava os dentes, babava pelo prato que tinha a sua frente. Embaixo, prontas para devora-lo quando caísse, seis onças famintas. Quando o urso dava uma folga, ouvia o urro das onças próximas a seus pés. O urso querendo come-lo, as onças querendo devora-lo. Em determinado momento, ele olhou pelo lado esquerdo e viu um morango vermelho, lindo, refletindo a luz do sol.
Num esforço supremo, apoiou seu corpo, sustentado apenas pela mão direita, e com a mão esquerda apanhou o morango. Quando pode olha-lo melhor, ficou inebriado com sua beleza. Então levou o morango a sua boca, e se deliciou com o sabor doce e suculento. Foi um prazer supremo comer um morango tão bom.

Deu pra entender?
Talvez você se pergunte:
‘- Mas e o urso?’
‘- Dane-se o urso, coma o morango!’
‘- Mas e as onças?’
‘- Dane-se as onças, coma o morango!’

As vezes, você está em casa no final de semana com seus filhos e amigos, almoçando. Percebendo seu mau humor sua esposa lhe diz:
- Meu bem, relaxe e aproveite o domingo!
E você, chateado, responde:
- Como posso relaxar, se amanhã na empresa tem um monte de ursos e onças querendo me pegar?
Relaxe, viva um dia por vez, coma os morangos!
Problemas acontecem na vida de todos nós, até o último suspiro. Sempre existirão ursos querendo comer sua cabeça e onças querendo devorar seus pés. Isso faz parte das nossas vidas, e é importante que saibamos viver nesse cenário. Mas precisamos comer os morangos, sempre.
Nós não podemos deixar de come-los só porque existem ursos e onças.
- Querida, tenho muitos problemas para resolver!
Problemas não devem impedir ninguém de ser feliz. O fato do seu chefe ser um chato, não significa que seu trabalho também seja.
O fato de sua mulher Ter TPM, não quer dizer que você não possa ir tomar um sorvete com ela.
O fato de seu filho ir mal na escola não significa que você não possa dar um passeio no campo com ele.
Coma os morangos, não deixe que eles escapem. Poderá não haver outra oportunidade de experimentar algo tão saboroso. Saboreie os bons momentos!
Sempre existirão ursos, onças e morangos. Eles fazem parte da vida, e é preciso saber aproveitar os morangos, pois as onças e os ursos não dá pra aproveitar.
Coma o morango quando ele aparecer. Não deixe para depois. O melhor momento para ser feliz é agora.
O futuro é uma ilusão, que sempre será diferente do que a imaginamos.
As pessoas vêem o sucesso como uma miragem. É como aquela história da cenoura pendurada na frente do cavalo que nunca a alcança.
As pessoas criam metas, e quando as alcançam, descobrem que ela não traz felicidade. Então continuam avançando e criando metas que não as fazem felizes.
Elas esquecem que o dia ( assim como a felicidade ) é construída todo dia.
A felicidade não é algo que você vai encontrar fora de você.
A felicidade é algo que existe dentro do seu coração. É a oportunidade que você cria para ser o artista de sua própria obra.
E eu, aqui no meu canto, torço pra você encontrar uma maneira de ser feliz! :)
Essa música é muito lindinha!

Música: Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto
Banda: Legião Urbana

Quando o sol bater na janela do teu quarto
Lembra e vê que o caminho é um só
Porque esperar se podemos começar tudo de novo, agora mesmo?
A humanidade é desumana, mas ainda temos chance
O sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer
Quando o sol bater na janela do teu quarto
Lembra e vê que o caminho é um só
Até bem pouco tempo atrás poderíamos mudar o mundo
Quem roubou nossa coragem?
Tudo é dor e toda dor vem do desejo de não sentirmos dor
Quando o sol bater na janela do teu quarto
Lembra e vê que o caminho é um só
pronto maninho! Estou escrevendo no meu blog! Ele só estava um pouquinho atrasado, mas quase nada... e eu nunca mais saio com vc para comprar roupa, definitivamente! vc vai cegar metade do povo do Opet!!! Sinceramente, a única peça q eu gostei q vc comprou foi aquela blusa azul, sinceramente. mas isso nós falamos depois...