sábado, julho 28, 2001

bom... essa música é linda no original, mas a tradução tb é fofa... vejam...

Música: Don’t Speak (Não Fale)
Banda: No Dout

Você e eu
Costumávamos ficar juntos
Eu realmente sinto que
Estou perdendo o meu melhor amigo
Eu não consigo acreditar que
Isso possa acontecer

Parece que você está deixando isso acontecer
E se é verdade,
Bem, não quero saber

Não fale
Eu sei muito bem o que você está dizendo
Por favor, pare de explicar
Não me diga porque isso machuca
Não fale
Eu sei o que você está pensando
Eu não preciso das suas razões
Não me diga porque isso machuca

Nossas lembranças
Elas podem ser convidativas
Mas algumas estão
Totalmente vivas

Assim que morrermos,
Você e eu com a minha cabeça entre minhas mãos
Eu sento e choro

Não fale
Eu sei muito bem o que você está dizendo
Por favor, pare de explicar
Não me diga porque isso machuca
Não fale
Eu sei o que você está pensando
Eu não preciso das suas razões
Não me diga porque isso machuca

Está tudo terminado
Eu tenho que parar de fingir que somos
Você e eu
Eu posso vê-los morrendo... estamos?

Não fale
Eu sei muito bem o que você está dizendo
Por favor, pare de explicar
Não me diga porque isso machuca
Não fale
Eu sei o que você está pensando
Eu não preciso das suas razões
Não me diga porque isso machuca
O QUE TOM JOBIM TERIA ESCRITO EM TEMPOS DE INTERNET

ÁGUAS DE MACRO
Letra e Música: Tom Jobin DosWin

É pau, é bug
É o fim do programa
É um erro fatal
O começo do drama
É o turbo Pascal
Diz que falta um begin
Não me mostra onde é
E capota no fim
É dois, é três
É o 486,
Instrução ilegal
Essa merda bloqueia
É um erro no boot
É um disco mordido
Hard disk estragado
Ai meu deus tô fudido
Sao as barras de espaço
Exibindo um borrao
É a promessa de vídeo
Se espalhando no chao
É o computador
Me fazendo de otário
Nao compila o programa
Salva só o comentário
É o ping, é o pong
O meu micro reboota
E o Scan não retira
Vírus filho da puta
O Windows não entra
E nem volta pro DOS
Não funciona o reset
Me detona a CMOS
É ABORT, é RETRY
Disco mal formatado
PCTools nao resolve
Norton trava o teclado
É impressora sem fita
Engolindo o papel
Meu trabalho de dias
Foi pro beleléu ...
É pau, que merda !
É o fim do meu fim de semana
Um erro fatal
O começo do drama....
Rafael, nem acredito que finalmente consegui falar com vc! ha, que loco... afinal, o seu fã clube está quase pronto!!! Acho que o outro Rafael vai querer participar tb...
Leiam isso... é muito lindinho...
Misael, essa é especialmente para vc...

Conta-se, que há muito o Sol
andava tristonho pela Terra.
Seus raios, já não eram tão
" fortes " como antes
e por mais que o fizesse,
sempre era encoberto por alguma nuvem escura
que percorria o céu num forte vendaval.
Os pássaros, as flores, os animais,
todos se questionavam sobre
o distanciamento do sol.
Numa manhã; que seria bem mais bonita,
se o Sol estivesse com seu esplendor total;
uma ave de vôo inigualável chamada Condor;
arriscou-se e quis tentar conversar com o astro rei.
O sol percebendo a dificuldade do Condor para se aproximar,
tranqüilizou-o dizendo:

_ Linda ave; de vôo quase perfeito,
porque queres chegar a mim,
se estou por toda parte deste planeta?

O Condor ouvindo a pergunta do Sol lhe respondeu,
já exausto pelo vôo:
_ Gostaria muito de saber o que lhe deixa tristonho.
O planeta está quase sem tua luz:
os pássaros já não sabem mais para onde ir;
as flores, principalmente o girassol;
já não sabe mais se fica acordado ou se dorme;
os animais já não sabem mais se ficam
em suas tocas ou saem para caçar;
as lavouras estão se perdendo...
Tudo está tão confuso,
que resolvi arriscar este vôo
e lhe perguntar qual seria o problema.

O Sol percebendo a preocupação do Condor disse-lhe:
_ Não sabia que estava causando tantos transtornos!
Confesso que me absorvi em meus pensamentos,
que não me dei conta do que estava fazendo.
Posso tentar solucionar isto tudo;
prometo tentar...

O Condor percebendo a " dúvida "
que ficou nas palavras do Sol,
ainda insistiu na mesma pergunta:
_ Mas o que está ocorrendo,
que lhe tirou a atenção do resto do mundo?
Poderia lhe ajudar, se você me dissesse o motivo.

O Sol ainda encoberto, disse-lhe:
_ Acho difícil alguém me ajudar...
Muito difícil mesmo...
E já que está disposto a conversar, diga-me:
você já amou alguém Condor?

O Condor apoiou-se nas encostas de uma montanha;
abaixou sua cabeça sem olhar para o abismo e respondeu:
_ Sim, já amei...
Amei uma linda ave,
que não era um Condor...
Amei e sonhei...
Muito...
E porque você me pergunta isto?
Você que é o Sol!
Que possui bem mais dotes do que eu;
que possui o poder em suas mãos?
Não é possível que não consegue
conquistar o amor de sua amada?
Qualquer dama,
se renderia à sua luminosidade;
ao seu esplendor;
ao seu magnetismo natural;
ao seu calor...

E antes mesmo que o Condor continuasse,
o Sol o interrompeu dizendo:
_ Qualquer uma, menos ela...

O Condor já intrigado de tanta curiosidade,
então perguntou:
_ Quem Sol?
Quem é ela?
Que dama lhe ofusca os olhos?
O Sol, então olhou para o infinito
e disse-lhe com o semblante bem tristonho:
_ A Lua...
A Lua, amigo!

Neste instante o Condor em respeito ao Sol,
segurou seu sorriso e disse-lhe:
_ A Lua?
Como você apaixonou-se por ela?
Como isso aconteceu?

O Sol percebendo o espanto do Condor,
lhe respondeu:
_ Aconteceu, que nos encontramos por algumas vezes...
Em frações de segundos em alguns lugares,
mas nos encontramos!
Por que você está surpreso com isso?

O Condor percebendo que o Sol
já estava se exaltando, tentou explicar:
_ Por favor amigo,
não quero que fique nervoso comigo.
Apenas estranhei a Lua ser sua amada...

_ Como estranhou?
Nunca lhe perguntei a quem você amou
e se tivesse dado certo,
você não me responderia da maneira
como me respondeu!

O Condor então disse:
_ Sim, você está certo...
Desculpe-me!
O que estranhei,
foi que você viu muito pouco esta bela criatura,
para poder se apaixonar por ela.

Neste instante o Sol então respondeu:
_ Sim muito pouco...
Muito pouco mesmo...
Mas nestas poucas vezes,
enxerguei dentro dos olhos dela.
Vi toda a beleza que ela trazia dentro de si...
Enxerguei o seu coração...
Senti-o bem próximo a mim...
Acreditei naquele olhar...
Vi cumplicidade...
Vi entrega...
Vi amor...

O Condor, observou que o Sol lhe falava,
mas seus olhos ficavam fixos no infinito,
procurando talvez os olhos da Lua.
Então disse-lhe:
_ Ora, ora amigo,
tenho que pensar em uma maneira de lhe ajudar.
E lhe ajudando, estarei sendo ajudado...
não só eu, todo o planeta!
O sol com mais emoção então perguntou:
_ Como você poderá me ajudar?
_ Devagar amigo!
Primeiro preciso me encontrar com alguns amigos
de hábitos noturnos e depois lhe darei a resposta.

E o Condor saiu voando mais que rapidamente
e em menos de 5 horas; quase à noitinha,
apareceu junto à encosta de uma montanha,
onde o Sol já se reclinara para adormecer e disse-lhe:

_ Veja amigo, o que trouxe junto a mim!
São vários amigos de hábitos noturnos
e todos eles estão dispostos a lhe ajudar,
se você continuar durante o dia no céu,
mais forte do que nunca!
É esta a única condição imposta por eles,
para lhe ajudar!

O sol intrigado com tantos animais ao seu redor,
então os perguntou:
_ Então digam, o que vocês fariam?
Neste instante uma coruja,
com a fisionomia bem experiente e sábia, disse-lhe:
_ Levaríamos à Lua,
seus recados;
suas notícias...
Tudo que precisar!

O Sol neste momento bramiu
com grande satisfação ao dito pela coruja.
E depois sorriu aliviado dizendo:
_ Então digam a ela uma " coisinha "
muito importante;
que nunca tive tempo para dizer;
pois quando nos víamos,
ficava tão preocupado
pelo pouco tempo de encontro;
que esquecia de lhe dizer...
Digam a ela, que a amo!
Que a amo, mais do que tudo!
Que estarei sempre esperando
para nos encontrarmos!
Que serei guardião do dia
e ela será a guardiã da noite...
E trabalhando juntos,
os dias e noites se passarão sem erros
e nos veremos novamente!
E quando nos encontrarmos novamente,
a amarei mais e mais...
Nem que demore
meio século para este encontro,
mas a amarei!

Os animais neste instante se emocionaram
com a clareza e transparência do Sol.
Agora sim, ele foi sincero em seu sentimento.
Ele não o escondeu entre as nuvens escuras
e não teve medo de falar o que sentia.
E a noite chegou.
A primeira a levar o recado foi a coruja.
Do alto de uma árvore,
disse à Lua as palavras do Sol.
Naquela noite,
uma chuva muito branda ,
molhou a Terra.
Cada gota de água da chuva,
representava emoções e sensibilidade da Lua.
Cada gota de chuva representava
lágrimas de amor da Lua!
Lágrimas de esperanças...
Lágrimas de satisfação...
Lágrimas de confiança...
Agora a Lua sabia que não estava só...
E um dia, se encontraria novamente com o Sol...
Nem que demorasse meio século...
Mas o encontraria...
Na imensidão do tempo...

Ao " Sol " e a " Lua " que existem
dentro de todo ser humano;
que as nuvens e turbulências,
apenas dêem um sentido maior
a existência desses dois seres!
Nossa... quanto tempo que eu não escrevo nesse bloguiiiiiiiiii... depois da minha pequena semana sem poder usar o telefone e ainda mais as férias. Resumindo, pra quem havia perguntado: eu fui para Santa Fé, que fica no norte do Paraná. É legal lá, mas eu só fui visitar parente praticamente... deu pra rever grande parte do povo... mas Paula e fazenda realmente não combinam. Nem Paula e rodeio. Muito menos Paula e música country!!!! Como eu fiquei saudades de rock, pop, ou qualquer coisa do genero... Fora isso e aquele cachorro que ficou lambendo a minha calça, tava bom. Inclusive, visitem http://natalie16.blogspot.com é o blog que a minha prima fez... tá legal...